Bartwist

Bares e bartenders reagem ao novo coronavírus

O que fazer quando os estabelecimentos estão fechados? O Bartwist procurou algumas respostas e encontrou também iniciativas de apoio a bares e bartenders. 

Os bares portugueses estão a enfrentar uma das piores crises de sempre devido à pandemia do novo coronavírus. Com o país em estado de emergência, o Governo decretou o encerramento dos estabelecimentos de restauração ao público, mas pediu que proporcionem serviços de take-away e de entrega ao domicílio. No entanto, mesmo antes desta medida, muitos bares já tinham encerrado por iniciativa própria.

A atual crise levou também o Governo a anunciar um reforço de apoios às empresas do sector, no dia 18 de março. A restauração e similares passam a dispor de uma linha de crédito de 600 milhões de euros, dos quais 270 milhões são destinados a micro e pequenas empresas. As medidas incluem ainda flexibilidade de pagamentos de impostos como IVA, TSU e de Retenções na Fonte de IRS e de IRC. 

Num contexto tão desfavorável é difícil encontrar soluções que resolvam o problema. Mas pode-se tentar mitigá-lo. É importante que os bares façam os possíveis para sobreviver a esta crise, mas é também necessário que os clientes apoiem o seu bar preferido para que este não desapareça.

Uma das vias é propor a entrega de cocktails em casa dos clientes. Mesmo com o país em estado de emergência esta alternativa é permitida.

Outra opção passa pelo lançamento de vouchers que os clientes compram agora para usufruírem quando a pandemia for uma coisa do passado – faça uma promoção daquelas que o cliente leva mesmo a sério!

Se o bar dispõe de merchandising como camisolas, bonés ou utensílios de bar, esta é a altura para tentar dinamizar a venda desses produtos.

E na China, como fazem?

Na China, kits com os componentes necessários para o cliente fazer os seus cocktails preferidos em casa mostraram ser bastante populares. Os kits incluem os vários ingredientes da bebida embalados em vácuo. Estas propostas costumam ir acompanhadas com uma nota escrita à mão pela equipa do bar e por pequenos snacks. 

No país onde começou a pandemia Covid-19, uma das formas que os bares e bartenders encontraram para contrariar os efeitos do surto é a plataforma Bar in a Bottle. Esta coloca os cocktails em garrafa e garante a entrega aos clientes, pagando a bebida aos bares. Os chineses encomendam os cocktails do seu bar favorito na app Virtual Bar Street e as entregas demoram um a três dias em toda a China.

Nadia Liu fundou o bar Na Ridlle, em Chengdu. Ela optou por se juntar a barmen de oito cidades para proporcionar masterclasses sobre mixologia em streaming. As transmissões realizavam-se todos os dias, às 20h00, na conta de Douyin (como o TikTok se chama na China) de Nadia Liu.

Outra chinesa, Maggie Liu, fundadora da popular cadeia de clubes One Third, destacou-se por ter mobilizado apoios para a compra de material médico. Mas ela também criou uma “nuvem virtual”, onde DJs passam os seus sets ao vivo.  A primeira rave teve mais de 1,2 milhões de espectadores, um recorde para streaming de um dia no Douyin. A iniciativa rendeu milhões de yinlang, a moeda virtual da plataforma, fundos que foram doados para ajudar Wuhan.

EUA, Grã-Bretanha e Itália

Nos EUA, a United States Bartenders Guild (USBG) lançou um programa de emergência para apoio a bartenders. Os interessados não necessitam de ser sócios da USBG, basta terem experiência comprovada na área. Entretanto, a Jameson anunciou que iria reservar 500 mil dólares para apoiar a USBG.

Por seu turno, a Guiness vai destinar um milhão de libras para ajudar bartenders na Grã Bretanha e, em Itália, o grupo Campari doou um milhão de euros a uma instituição de saúde pública situada em Milão. Já em França, a Pernod-Ricard cedeu 70 mil litros de álcool puro a uma empresa para produção de desinfetante de mãos. Esta multinacional está também a apoiar a produção destes produtos noutros países.

Fachada Rodrigues

Fachada Rodrigues

Jornalista de formação, com década e meia de prática em jornais de escala nacional, e com passagens por assessoria de imprensa ao nível do Estado, recentemente começou a leccionar Jornalismo Digital. Gosta de um bom vinho, seja ele de mesa ou do Porto, e não nega um cocktail. Contacto: frodrigues@bartwist.com