Bartwist

“As pessoas não estão a beber mais, estão a beber melhor”

Nicola Riske 26 Agosto 2019

Nicola Riske, a brand ambassador europeia do whisky Macallan, tem origens canadianas, mas vive atualmente em Madrid. Falámos com ela no Lisbon Bar Show e recuperamos esta entrevista para revelar a sua paixão pela marca que representa. A Macallan posiciona-se no mercado de luxo e regista um bom desempenho em Portugal. 

Qual é a situação atual da Macallan em Portugal?
O futuro é brilhante. Devo dizer que é fantástico ver como Portugal está a crescer na categoria das bebidas espirituosas e marcas de luxo. Uma coisa que estamos a aprender é que, neste momento, tanto em Portugal como em todo o mundo, as pessoas não estão a beber mais, estão a beber melhor. E menos é mais, certo? Querem beber mais qualidade do que quantidade. Reconhecemos isso na Macallan, um whisky escocês single malt de luxo. 

Vemos que as pessoas hoje em dia estão a fazer as suas próprias escolhas em relação à forma como bebem e preferem desfrutar de um único cocktail premium do que de dois ou três normais. E isto passa-se com a Macallan, quer esteja a desfrutar de um whisky puro, quer goste de gelo ou de um belo cocktail. Acho que todos sentem que gostariam de ter uma espirituosa na sua bebida. 

Foto: Direitos Reservados.

O Macallan não é um whisky para massas. É mais para conhecedores? 
Acho que é para todos e que, em geral, o público está novamente a beber melhor. As pessoas estão muito conscientes das suas decisões, muito conscientes de como as coisas são feitas. As pessoas adoram conhecer os antecedentes, as histórias, os detalhes que entram na produção das suas bebidas espirituosas. E por causa disso as pessoas estão a fazer escolhas diferentes; vejo isso  em Lisboa e em todo o país. 

Mas existe muita concorrência no mercado português…
No que diz respeito ao whisky escocês, diria que está a aumentar a procura e que, na  generalidade, as marcas de bebidas espirituosas estão a crescer. Uma maré crescente que eleva todos os barcos e o da Macallan também continua a subir. Está a correr muito bem no mercado português e as pessoas estão certamente a apreciar o seu whisky escocês single malt… 

Pode revelar-nos números desse crescimento?
Não tenho números exatos que possa partilhar neste momento, mas posso dizer que têm crescido muito rapidamente, o que é excelente. 

Já teve oportunidade de visitar alguns bares portugueses?
Sim. O que eu adoro aqui é o constante compromisso com a criatividade dos bartenders. Desafiam-se a si próprios a colocar a fasquia mais alta. Fui ao Red Frog, bem como ao novo bar Monkey Mash, ontem à noite. E mais uma vez vi as equipas de bar, a maneira como se aplicam e dão tudo, como estão trabalhando com sabores e criando alguns cocktails muito, muito bonitos. Têm, de facto, ótimas equipas. A comunidade aqui é muito unida e por isso é realmente maravilhoso ver. Temos de frequentar todos os bares bonitos de Lisboa que amamos. 

Pessoalmente, qual é o seu cocktail preferido? 
Prefiro sempre um clássico ou um clássico com um toque. E quem me conhece sabe que o Rob Roy – claro que com whisky escocês single malt Macallan, é o meu favorito. É o meu Martini, o meu go to, o meu clássico favorito. 

O que é que num bar a faz dizer “uau, isto é fantástico”? 
Em qualquer bar, a hospitalidade é sempre a chave e agora agora temos bares que também criam experiências completas, a partir da atmosfera, do ambiente, da apresentação do cocktail. Mas, acima de tudo, é aquele calor, aquele sorriso, a saudação que nos coloca em casa. Isso é sempre a chave em qualquer bar e é por isso que queremos sempre voltar ao lugar habitual. Essa hospitalidade, definitivamente, sinto-a sempre em Lisboa, por isso adoro vir aqui.  

Em Portugal tivemos um crescimento muito pronunciado do gin. Qual acha que vai ser a próxima grande tendência?
Há muitas tendências. Nós ainda vemos o gin e a tónica a combinarem muito e vemos muitas highballs de whisky que adoro. Para mim, com Macallan, adoro uma bebida refrescante e fácil, especialmente num dia quente como o de hoje. Mas adoro os meus Rob Roys, o clássico whisky highball é sempre leve e refrescante, perfeito. E por isso adoro ter uma boa highball de whisky. E como aperitivo, o clássico Macallan de doze anos, triple cask, com soda ou Perrier e um toque de limão, mantém-se agradável como simples refrescante. 

Quer deixar algumas palavras para os nossos leitores? 
Por favor, quando tiverem a oportunidade, explorem alguns dos bares maravilhosos que mencionei, bem como outros por toda a cidade de Lisboa. Os barmen em Portugal estão a criar coisas maravilhosas e merecem apoio. Para a Macallan é novamente um grande prazer estarmos aqui, a partilhar o nosso whisky escocês single malt e a falar um pouco sobre a sua importância. Fiz ontem um seminário sobre a madeira de carvalho e a sua importância para o whisky escocês e foi um enorme prazer ter estas conversas com todos aqui. E, se está na indústria e ainda não conhece o Lisbon Bar Show, é algo que não pode perder.